A contratação segura de influenciadores digitais para a sua companhia

Por Fernanda Olberg Carmuega

Influenciadores digitais são hoje, um dos principais meios de divulgação de marcas, produtos e serviços. Nunca antes o Marketing de Influência esteve  tão forte. Conforme estudo divulgado pelo Google nomeado “Zmot – Conquistando o Momento Zero da Verdade”, a grande maioria dos consumidores apenas decide-se pela compra ou não de determinado produto, após analisarem as opiniões divulgadas na internet por outros usuários.

Seguindo este raciocínio, as empresas cada vez mais apostarão nestes profissionais. Contudo, por se tratar de uma profissão contemporânea, muitos aspectos do negócio ainda não são regulados pela legislação, o que pode trazer riscos às empresas contratantes.

Muitas companhias,  atraídas pela  maneira informal de divulgação de seus produtos,   contratam, mediante    mensagens eletrônicas ou telefonemas, o que, embora válido, juridicamente não garante   o cumprimento das condições estipuladas.

Desta forma, é imprescindível que, após realizados os devidos estudos para a escolha do profissional adequado para a sua marca, sejam formalizadas as condições específicas para esta contratação.

Neste momento é fundamental que a companhia tenha de forma clara e objetiva o público  que pretende atingir e a forma como almeja fazê-lo. Assim, deverá ser acordado com o influenciador de forma expressa não só a quantidade e frequência de “posts” (publicação fixa) e/ou “stories” (publicações temporárias) em suas redes sociais, mas também o horário, a descrição e os perfis que deverão ser marcados na postagem.

Além disto, poderá ser negociada a postura dentro e fora das redes sociais do influenciador, com a devida parcimônia, mas ressaltando-se sempre que se trata de uma modalidade de negócio, e que hoje o profissional está sendo pago não só para gerar exposição da marca, mas também para ajudar de forma efetiva na concretização de resultados. Neste mesmo sentido, a rescisão por atos que desagradem a contratante ou que possam gerar exposição negativa da marca também devem estar comtemplados no termo.

Ressalta-se também a importância do respeito ao Código de Defesa do Consumidor e  às regras estabelecidas pelo  Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (CONAR). A empresa deve sempre estabelecer como obrigação contratual que  seus influenciadores sinalizem tratar-se de    publicidade , para que a mesma seja percebida pelo  público como tal, evitando assim penalizações por publicidade abusiva, bem como , protegendo a marca de uma exposição que poderá ser negativa.

Portanto, a formalização de contratos com os denominados  influenciadores digitais é muito importante. Ambas as partes precisam buscar sempre a boa-fé, a fim de evitar abusos e irregularidades, garantindo a correta execução dos termos avençados entre empresa e influenciador, promovendo maior segurança jurídica para ambas as partes.

Fernanda Olberg Carmuega, advogada do escritório Almeida Prado & Hoffmann Advogados Associados.

2019-11-13T12:31:09+00:00